Ads Top

Sete riscos a serem evitados ao vender via e-commerce

Imagem: Pixabay
Imagem: Pixabay Programa Inova 360

Por Abu Amir

O comércio online no Brasil está cada ganhando mais força a cada dia que passa. Já faz algum tempo que uma boa parte dos lojistas notaram que as vendas pela internet contam com um crescimento interessante em comparação aos ambientes físicos.

O e-commerce permite aos gestores de lojas físicas chegarem onde desejam, pois vender na internet abre chances de que suas vendas poderão superar tanto as presenciais quanto as que são realizadas por meio de redes sociais.

Mas, vale ressaltar que as vendas online requerem do gestor uma atenção maior em alguns pontos, como ter ciência sobre os riscos de vender produtos online, ou seja, problemas como possíveis fraudes nos pagamentos e outros que podem até envolver a própria credibilidade da marca.

Quando este tipo de problema acontece e não é eliminado, automaticamente podem surgir as consequências, como redução nas vendas e insatisfação dos seus clientes, entre outras. Por isso, alguns cuidados são essenciais para manter o seu e-commerce seguro contra riscos. Confira sete deles abaixo.

– Falta de gerenciamento no estoque

Quando o setor de estoque não conta com um gerenciamento eficaz, as dores de cabeça devem surgir mais cedo ou mais tarde. Podemos citar o exemplo de um consumidor que está interessado em um produto de sua loja e, de repente, a mercadoria aparece como indisponível.

Para que isso não aconteça com a sua loja, é muito importante que o estoque seja capaz de atender a todos os pedidos dos consumidores. Lembre-se que ter itens de sobra e com baixo giro é um possível sinal de risco, mas este problema pode ser resolvido por meio de um estudo mais detalhado dos números dos itens vendidos por seu e-commerce e logicamente por meio de um sistema de gestão de estoque ou erp. Tome como base os mesmos períodos de venda em anos anteriores, isso ajudará você a encontrar seu estoque de equilíbrio.

Além disso, existem hoje recursos fantásticos que poderão ser seu plano “b”, ou até mesmo seu plano “a” para atender toda a demanda de vendas de sua operação de e-commerce, é o que chamamos de dropshipping ou mais popularmente como triangulação, o que é isso¿ dropshipping ou triangulação é quando o estoque de seu fornecedor seja ele fabricante ou atacadista, está integrado de alguma forma a seu erp ou ferramenta de e-commerce, desta forma todos os produtos fornecidos por este fornecedor estarão disponíveis para venda em sua loja, mas não alocados fisicamente em seu estoque, com isso seus clientes conseguirão comprar produtos de você, e estes serão entregues fisicamente ao consumidor final não por sua loja, mas por seu fornecedor.

– Invasão de hackers

Quando o assunto envolve segurança em e-commerce, dentre as principais preocupações estão os ataques de hackers. Para que isso não venha a acontecer com a sua loja online, é primordial atualizar frequentemente o seu servidor e/ ou sua ferramenta de e-commerce.

É fundamental possuir um certificado SSL, com isto o endereço de sua loja ficará com o protocolo https, este qual até as ferramentas do Google por exemplo podem lhe beneficiar com maior autoridade de domínio na internet.

Existe uma condição técnica conhecida como HSTS, utilizada quando da aplicação do certificado SSL para protocolo https em seu site. Esta condição HSTS muito utilizada por instituições financeiras, condiciona que NUNCA qualquer página de seu site/ loja, poderá ser acessada sem o uso do protocolo de segurança. O HSTS geralmente não possui custo algum, a não ser o custo de um profissional de infraestrutura para uma eventual configuração.

Dessa forma, você se previne contra os ataques desses invasores e impede que eles roubem os dados pessoais e bancários dos seus clientes.

– Problemas técnicos

Toda empresa que depende totalmente da tecnologia, como os e-commerces, precisa estar atenta e preparada para os diversos problemas técnicos que podem surgir, uma vez que o site pode ter imprevistos relacionados à tecnologia em algum momento.

Por isso, é de suma importância ter um profissional ou fornecedor capacitado para dar a total assistência necessária à parte tecnológica do seu negócio e à prevenção de riscos futuros.

Lembre-se que sua empresa pode vender “bananas”, para isso ela não precisa ser uma empresa de tecnologia mas, precisa ter a tecnologia como espinha dorsal de seu negócio.

Atraso no prazo de entrega

Este é um fator muito importante e que necessita de uma atenção maior, pois atrasos nas entregas dos produtos vendidos por sua loja virtual podem impactar de forma negativa.

Este também é um problema de credibilidade em e-commerce, e para evitar tal transtorno, o ideal é acompanhar a tarefa de perto para que tudo corra da melhor maneira possível e para que você possa intervir sempre que necessário.

Chamamos hoje de fulfillment, a gestão de toda cadeia de operação de um e-commerce, desde sua concepção, tecnologias e integrações envolvidas, formatos de aquisição de produtos para revenda, mercadologia, concepção de preço e valor, aquisição de clientes e gestão de conversões, logística mediante workflow, atendimento, pós-venda e garantias. O sponsor do e-commerce ou gestor da empresa, precisa fundamentalmente estar atento ao macro e a partir disso delegar para as áreas a aplicação de cada plano de ação afim de se resolver qualquer eventualidade.

– Falta de parceria com o fornecedor

A falta de uma boa parceria com os fornecedores pode gerar sérios prejuízos, dentre eles os atrasos das entregas, o que acaba gerando a insatisfação dos seus clientes, levando-os a comprar com a concorrência.

Construir relações saudáveis e de confiança com seus fornecedores pode ser uma ótima opção não só para garantir que seus produtos sejam entregues dentro do prazo combinado mas para se destacar frente à concorrência e, dessa forma, garantir a satisfação dos consumidores.

Sendo assim, é importante que os gestores criem estratégias para ajudar o seu e-commerce a se diferenciar dos concorrentes. Neste sentido, poder contar com fornecedores que possam ofertar valores de compra mais atrativos pode ser o início de uma boa parceria.

– Não investir em sistema anti-fraude

Atualmente, existem diversos modelos de sistema de segurança de prevenção de fraudes para e-commerces, mas o ideal mesmo é investir em um que esteja de acordo com seu perfil de negócio.

Vale lembrar que esses sistemas antifraude contam com funcionalidades que ajudam a gerenciar os riscos, o que é feito por meio de ferramentas analíticas e estatísticas. Dessa forma, é possível manter o seu e-commerce seguro e livre de fraudes.

Estes sistemas de modo geral, irão lhe indicar uma possível venda fraudulenta, mas o poder de concluir ou não a venda é seu, caso conclua uma venda criticada pelo sistema anti fraude ou anti chargeback como é mais conhecido no mundo do e-commerce, o risco foi assumido por você e portanto o sistema não irá lhe reembolsar se este for realmente um caso de fraude, o que ocorre quando você entrega um produto a partir de um pedido aprovado pelo sistema anti fraude.

– Não encaixar sua operação e-commerce em seu escopo de negócio

Desde a concepção do e-commerce, antes de este ser “ferramenta”, precisamos identificar de maneira sólida o que o conceito e-commerce pode gerar de resultado para a empresa.

Muitos são os casos em que a empresa já possui uma vida em operações de loja física, distribuição de produtos, etc, mas seja para situações b2c (venda ao consumidor final) ou b2b (venda corporativa), o gestor precisa compreender se o e-commerce será apenas um novo canal de comercialização ou, se ele ampliará as possibilidades de venda em modelo multicanal “ominichannel”.

Costumo dizer que iniciar um e-commerce em qualquer situação é sem dúvida, implantar um processo de auditoria na empresa, pois todas as etapas operacionais e de estratégia de negócio deverão ser mapeadas, repensadas e redefinidas, pois como toda experiência de consumo começa pelo digital, o e-commerce será um caminho sem volta para a permanência de sua empresa ativa e competitiva em seu mercado.

O e-commerce é algo realmente fantástico e recheado de possibilidades, mas que demanda muita capacitação profissional e aculturamento corporativo, mas ainda mais importante, saber onde se quer chegar.

Por Abu Amir é tecnólogo em Engenharia Mecânica e bacharel em Matemática com Especialização em Ciências Atuariais. Com mais de 400 projetos atendidos, lidera a área de Produtos na SW Tecnologia | Orbital Commerce e é comentarista do programa de TV Inova360, na Record News.

 

 

 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.